Matéria do Estado de São Paulo com Benx e Vangard: Estilo familiar e infraestrutura são atrativos na Lapa

Matéria do Estado de São Paulo com Benx e Vangard: Estilo familiar e infraestrutura são atrativos na Lapa

“A região tem casas, prédios, a área fabril da Vila Leopoldina, a Vila Romana. É habitada por um público de médio e alto padrão”, diz o vice-presidente comercial da Abyara Brasil Brokers, Bruno Vivanco. Ele destaca que o bairro planejado Jardim das Perdizes, parceria da Tecnisa com a PDG, na vizinha Barra Funda, influencia o mercado imobiliário da Lapa.

De acordo com Vivanco, em razão da magnitude do projeto – com 11 condomínios independentes, 25 torres residenciais, um hotel, uma torre comercial corporativa, uma torre com salas comerciais e um misto com lojas, além de 50 mil metros quadrados de área verde o entorno da Barra Funda, incluindo a Lapa, são influenciados em preço e estilo de empreendimentos.

“O Jardim das Perdizes é uma referência e um balizador importante de preço para toda a região. Além de todo o planejamento urbano que muda toda a cara da região”, diz Vivanco. Potencial. O vice-presidente da Abyara destaca ainda que a região da Lapa tem espaço para crescimento. “A Vila Romana tem o maior potencial de crescimento local, assim como a Vila Leopoldina tem potencial de verticalização”, diz.

Por outro lado, o diretor de negócios da Gafisa, Octávio Flores, defende que a valorização promovida pelo Jardim das Perdizes ficou circunscrita à Barra Funda mesmo. “Não acho que o projeto teve tanta influência no Alto da Lapa, por exemplo, que já é mais valorizado”, diz.

Segundo ele, não houve mudança de preços nos bairros que já têm presença histórica e consolidada na cidade. “Todos que estão no bolsão do entorno da Barra Funda têm vida própria. O Jardim das Perdizes levou o foco e valorizou os terrenos”

Na avaliação de Flores, existe a Lapa tradicional, que contempla áreas no entorno das vias Cerro Corá, Diógenes Ribeiro de Lima, São Gualter, e a não tradicional que inclui áreas como Vila Ipojuca e Barra Funda.

 

A Lapa, porém, se consolidou, tem infraestrutura, escolas, supermercados, comércio, parques, shoppings, além de acesso facilitado para as marginais e transporte público. O

Bairro tem localização estratégica e estilo familiar. “Por isso, a Gafisa tem presença na Lapa há mais de 20 anos, com edifícios de alto padrão”, diz Flores.

 

A empresa adquiriu um terreno no Alto da Lapa antes do Plano Diretor e conseguirá, segundo Flores, construir um empreendimento com a cara do bairro: unidades com 122 metros quadrados, três dormitórios, dois por andar, duas vagas de garagem e infraestrutura interna e nos arredores. “Queremos continuar na região. É uma característica do bairro atender mais famílias, não há muito interesse pelos singles, estúdios e compactos.

 

Quem está na Lapa quer morar na Lapa. Filhos de moradores que estavam fora do bairro tem voltado para a região. ”O executivo define bem os limites da Lapa, e destaca que a

Vila Romana, Vila Ipojuca e até Alto de Pinheiros nos arredores também têm excelente infraestrutura. Segundo ele, o preço médio do metro quadrado no local está acima de R$ 10mil.

 

Para morar. A Vila Leopoldina, antes reduto de galpões e indústrias, que está ao lado da Lapa, ganhou ares residenciais nos últimos anos. “A valorização dos bairros vizinhos é muito importante para a valorização da própria Lapa”, diz a gerente de marketing e vendas da Benx Incorporadora, Renata Brasileiro Lima. A empresa que lançou recentemente um empreendimento no bairro. De acordo com ela, quanto mais a Vila Leopoldina se desenvolve, cresce e se valoriza na parte residencial, mais ofertas de serviços, compras e lazer surgem na região que atendem também a vizinhança.

“O cliente quer um bom investimento. Muitas pessoas também buscam reduzir o tempo que perdem diariamente no trânsito, já que o bairro tem acesso fácil às marginais Pinheiros e Tietê, às rodovias Castelo Branco, Bandeirantes e Anhanguera. Na Lapa, as pessoas também buscam, ainda, mais qualidade de vida: é tranquila, com muitas opções de serviço e lazer, e apartamentos mais novos e espaçosos, com áreas de lazer completas”, diz Renata. A executiva da Benx ressalta que a região ainda tem espaço para continuar se expandindo. O lançamento da incorporadora tem apartamentos de 50 metros quadrados a 86m² com preço do metro quadrado acima de R$ 8,5 mil.

O ESTADO DE SÃO PAULO, DOMINGO, 23 DE AGOSTO DE 2015

Cadastre-se e receba novidades sobre nossos lançamentos

DESENVOLVIDO POR:7ways